sábado, 3 de dezembro de 2011

Felicidade Nostálgica


Surgiu de um sentimento simplório... 
De um complexo inexplicável 
Transbordara de simpatia "o sério", 
Conseguindo assim o inalcansável 


Logo penso, você está lá! 
Quando respiro, você enche meus pulmões, 
Você emana toda luz que há 
E consequentemente este sorriso aflora-me singelas emoções 


Assim acerta-me deveras como um veneno, 
ou notório mar de nostalgia. 
Paralisando meu corpo com seu jeito sereno, 
Enquanto meus olhos famintos à consumia 


Em seus lábios almejo beber, 
O néctar vindo dos céus. 
E neste momento perder minha necessidade de morrer, 
Pois quero viver d'esperança nos braços teus. 


Como desfecho de minh'alma errante, 
Deixo minha humilde vida de tédio. 
Porque agora sofro e sigo como um amante, 
Esperando você por intermédio! 


Surge também este pesadelo, 
De um grande desprezo encontrar. 
Dilacerando nosso elo, 
Que meu coração nunca pensou em desatar. 









































Um comentário: