sexta-feira, 9 de novembro de 2012

16-09-2005

Mais um texto do túnel do tempo, ele foi escrito do alto dos meu 17 anos, em um ano que tudo resolveu acontecer, primeira briga entre melhores amigos, primeiro amor se desfazendo , primeiro contato com a morte e com a solidão.


"...Tudo faz parte de um grande aprendizado, mesmo que às vezes as coisas sejam ruins e eu sofra, mesmo assim não vou e não quero me arrepender. Nada acontece por acaso, tudo tem o seu sentido e contribuição para o aprendizado e amadurecimento.
Afinal o que estamos fazendo aqui? Aprendendo. É por isso que não me arrependo de nada do que fiz, cada erro, cada vez que chorei, sofri, caí; cada uma dessas situações e sentimentos formaram degraus para o meu crescimento, sem eles eu não seria nada do que sou, não saberia nada. Eu sei que preciso passar por tudo isso...
Pra conhecer a felicidade tem que primeiro saber viver o sofrimento. Pra saber o que é amor, tem que saber o que é ódio. Todos os sentimentos são válidos, todos são necessários. Raiva, sofrimento, ódio, solidão, sem eles os outros não fariam sentido, eles se completam, caminham lado a lado..."

Pamela Antunes
16/09/2005

Porque isso me faz bem

Sabe, um dos meus problemas em publicar meus textos, é que eu não saberia a reação das pessoas. Tenho tantas idéias na minha cabeça, tantas. E sei que as minhas são bem diferentes das da maioria. E sei também que...onde está o senso de interpretação desse povo ?  Enfim, acho que é um preço a pagar, eu preciso me expressar, preciso mesmo, sempre precisei, e cada vez que tenho que reprimir uma opinião por que a maioria não ia gostar/entender, eu morro mais um pouquinho. O meu basta já foi dado há algum tempo, na verdade ele tem que ser dado todo dia, tododia. Então coragem, coragem e coragem. Demoro um tempo pra eu aprender que eu não sou obrigada a agradar todo mundo, sabe, eu não sou obrigada, tenho minha opinião bem crítica sobre a sociedade em geral, sobre esse sistema maluco e até sobre eu mesma e vou exprimi-la. Eu não quero discussão, pois se discute quando se quer provar algo e convencer o seu interlocutor. Não quero provar nada, não quero convencer ninguém (aprendi sobre dura provas que não se convence ninguém, a pessoa só muda por ela mesma e no tempo dela) quero apenas me expressar, por que isso me faz bem. Toda vez que escrevo um texto é um peso a menos nas minhas costas.

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

A pessoa


A pessoa trabalha das 8h a 17h, chega em casa, liga a TV, assiste a novela, assiste ao jornal da sua região, assiste outra novela, assiste o jornal “nacional”, assiste outra novela, nesse meio tempo entre o jornal e a novela, tem o seu jantar e depois vai durmir. Ops! Esqueci, agora tem mais uma novela e tem o Facebook! E depois vai durmir. No outro dia tudo se repete outra vez. Nessa linda rotina, não existe espaço, pra ler um livro, (não! o que é um livro?), pra conversar com a pessoa do seu lado (sim, olhe para o lado você vai se surpreender), não existe espaço pra entrar na internet e ler noticias de um site independente, por exemplo, (sim! existe mais sites do que o facebook, youtube ) ou até de pesquisar sobre um determinado assunto de seu interesse e ver os vários pontos de vistas que existem sobre ele e depois refletir e talvez ter uma opinião. Não, definitivamente não existe espaço pra tudo isso (!) na rotina da pessoa.
Mas sabe para que existe espaço? Pra reclamar, pra REPETIR o que escutou no jornal nacional ou viu no facebook, claro, porque a pessoa não precisa se preocupar se as noticias são falsas ou tendenciosas, afinal tudo o que eles passam no jornal ou compartilham no facebook é verdade, é lei.
Assim, a pessoa apenas repete a notícia, e reclama, e acredita que toda merda que acontece não tem nada a ver com ela, que o papel da pessoa é apenas assistir a TV, repetir e reclamar. E vive feliz. (?)